31 de janeiro de 2011

A necessidade de uma moral - a lei natural

"...trata-se de um sistema de normas logicamente anteriores e eticamente superiores às leis do Estado" (Guido Fasso)

O fundamento da lei natural é a natureza.
A lei natural na Antiguidade Grega é a virtude. O fim da ética é a felicidade. No comportamento ético a razão comanda as paixões. A virtude deve estar em conformidade com a natureza cósmica, sendo uma atualização da potencialidade humana.

Na Idade Média a lei natural foi adotada pelo catecismo na igreja. O fundamento é a perfeição divina. A perfeição de Deus estende-se a da natureza. São observadas pela igreja (aff).

19 de janeiro de 2011

O homem é mau por natureza

Já dizia Maquiavel (Niccolò Machiavelli) por volta de 1513 quando publica sua obra "O Príncipe".
Nesta obra, ele discute temas sobre as virtudes humanistas e contesta a visão tradicional sobre o que seria a virtude - em especial no que diz respeito com a relação entre ética e política.
Algumas passagens de "O Príncipe" são importantes para a compreensão de sua filosofia, mas a que me chama atenção é o alerta para o fato de que o maior perigo para um soberano consiste em ser odiado pelo povo, pela sociedade.

"Todos veem aquilo que tu pareces, poucos sentem o que tu és..." (Tutte le opere. Firenze: Sansoni, 1992, p. 284).

O legal de Maquiavel é que na obra "O Príncipe" ele deixa claro que se por um lado o soberano não pode observar todas as qualidades morais consideradas boas, por outro lado é absolutamente necessário APARENTAR possuí-las. Peidade, fé, integridade, humanidade e religião. Segue o trecho:

"O príncipe não precisa possuir de fato todas as qualidades acima citadas, mas É NECESSÁRIO QUE APARENTE possuí-las. Antes, teria a audácia de afirmar que, possuindo-as e praticando-as todas, elas seriam prejudiciais, AO PASSO QUE APARENTANDO POSSUÍ-LAS, são úteis; por exemplo: parecer piedoso, fiel, humano, íntegro, e sê-lo efetivamente, mas ter o ânimo de tal modo que, não podendo sê-lo, o PRÍNCIPE POSSA E SAIBA TORNAR-SE O CONTRÁRIO." (Tutte le opere. Firenze: Sansoni, 1992, p. 284)

Mais importante do que ser, é parecer...

12 de janeiro de 2011

O BBB11 por Maquiavel...

01 - Zele apenas por seus interesses;
02 - Não honre a ninguém além de você mesmo;
03 - Faça o mal, mas finja fazer o bem;
04 - Cobice e procure obter o que puder;
05 - Seja miserável;
06 - Seja brutal;
07 - Engane o próximo toda vez que puder;
08 - Mate os seus inimigos, e se for preciso mate seus amigos também;
09 - Use a força ao invés da bondade ao tratar com o próximo;
10 - Pense exclusivamente na guerra.
Adicionar legenda

4 de janeiro de 2011

R$ 3,00 a condução - a mais cara do país

Este foi o primeiro presente que o governo deu para a população em 2011, ou melhor, o primeiro aumento do ano...
Vamos ver o que nos aguarda nos próximos 361 dias...

1 de janeiro de 2011

Conhecimento para todos em 2011

Trecho da obra de Bertrand Russell com o desejo de bastante conhecimento a todos em 2011.


"A Filosofia, como os demais estudos,  visa primeiramente o conhecimento. O conhecimento que ela tem em vista é aquela espécie de conhecimento que confere unidade e organização sistemática a todo o corpo do saber científico, bem como o que resulta de um exame crítico dos fundamentos das nossas convicções, dos nossos preconceitos, e das nossas crenças. Mas não se pode dizer, no entanto, que a filosofia tenha tido algum grande êxito na sua tentativa de dar respostas definitivas às suas questões.
Se perguntarmos a um matemático, a um mineralogista, a um historiador, ou a qualquer outro homem de saber, que conjunto de verdades concretas foi estabelecido pela sua ciência, sua resposta durará tanto tempo quanto estivermos dispostos a lher dar ouvidos. Mas se fizermos essa mesma pergunta a um filósofo, terá que confessar, se for sincero, que a filosofia não alcançou resultados positivos como os que foram alcançados por outras ciências. É verdade que isso se explica, em parte, pelo fato de que, assim que se torna possível um conhecimento preciso naquilo que diz respeito a determinado assunto, este assunto deixa de ser chamado de filosofia e torna-se uma ciência especial. Todo o estudo dos corpos celestes, que hoje pertence à astronomia, incluía-se outrora na filosofia; a grande obra de Newton tem por título: Princípios matemáticos da filosofia natural. De maneira semalhante, o estudo da mente humana, que fazia parte da filosofia, está hoje separado da filosofia e tornou-se a ciência da psicologia. Deste modo, a incerteza da filosofia é, em grande medida, mais aparente que real: os problemas para os quais já se tem respostas positivas vão sendo colocados nas ciências, enquanto que aqueles para os quais não se encontrou até hoje nenhuma resposta exata, continua a constituir esse resíduo que denominamos Filosofia."

(Russell, Brentrand. Os problemas da filosofia.1959, p.155-156)