19 de janeiro de 2011

O homem é mau por natureza

Já dizia Maquiavel (Niccolò Machiavelli) por volta de 1513 quando publica sua obra "O Príncipe".
Nesta obra, ele discute temas sobre as virtudes humanistas e contesta a visão tradicional sobre o que seria a virtude - em especial no que diz respeito com a relação entre ética e política.
Algumas passagens de "O Príncipe" são importantes para a compreensão de sua filosofia, mas a que me chama atenção é o alerta para o fato de que o maior perigo para um soberano consiste em ser odiado pelo povo, pela sociedade.

"Todos veem aquilo que tu pareces, poucos sentem o que tu és..." (Tutte le opere. Firenze: Sansoni, 1992, p. 284).

O legal de Maquiavel é que na obra "O Príncipe" ele deixa claro que se por um lado o soberano não pode observar todas as qualidades morais consideradas boas, por outro lado é absolutamente necessário APARENTAR possuí-las. Peidade, fé, integridade, humanidade e religião. Segue o trecho:

"O príncipe não precisa possuir de fato todas as qualidades acima citadas, mas É NECESSÁRIO QUE APARENTE possuí-las. Antes, teria a audácia de afirmar que, possuindo-as e praticando-as todas, elas seriam prejudiciais, AO PASSO QUE APARENTANDO POSSUÍ-LAS, são úteis; por exemplo: parecer piedoso, fiel, humano, íntegro, e sê-lo efetivamente, mas ter o ânimo de tal modo que, não podendo sê-lo, o PRÍNCIPE POSSA E SAIBA TORNAR-SE O CONTRÁRIO." (Tutte le opere. Firenze: Sansoni, 1992, p. 284)

Mais importante do que ser, é parecer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário