19 de dezembro de 2016

Natal: a época mais hipócrita do ano

Hipocrisia: do grego hypokrinein ou hypokrisía que basicamente é algo como "separar gradualmente" ou "representar um papel".
Na Grécia antiga, atores de teatro fingiam ser algo que não eram, ser outras pessoas que não eles mesmos.
O que faziam no palco era uma "hipocrisia" (hypokhrinesthai) que era considerado como fingir, fingimento.
Então a palavra de origem grega era aplicada para a ação de interpretar uma peça teatral onde se era algo que não na vida real.
Com o tempo ela virou "falsidade", "fingimento" de pessoas e foi com esse sentido que entrou, infelizmente, em nossa língua portuguesa sendo muitas vezes confundida com Hipócrates que foi conhecido como o pai da medicina, no entanto, ambas as palavras tem relação.



Algumas pessoas amam adorar as divindades: tudo é falso!
Tamuz, Horus, Mitra, Átis, Buda, Hércules, Krishna. Todos nascem em 25/12 e de mulheres virgens, de onde vem todas as divindades, correto?
Fora a falsa data do nascimento do deus cristão... O falso Santa Claus com seu pijama vermelho, também engana uma criança, ou melhor, os pais enganam essa criança. Criam a "fantasia" em suas mentes sadias e ingênuas de que um cara gordo em um trenó vem voando sabe-se lá de onde trazendo vários presentes para quem se comportou. Somente para quem se comportou durante o ano todo.
Daí vem a pergunta: estes pais se comportaram durante o ano todo amando, zelando, sendo honestos e afins também para receber o "merecimento" necessário do tal Papai Noel? Hum!
Falsas promessas, falsos perdões, falsa ilusão de presentes em quantidade exorbitante.
Tudo é o motivo religioso e religião, já dita neste blog, é escuridão!
Mas não vamos apagar a chama do Natal, certo?
Krampus vem aí para auxiliar o Papai Noel com sua punição aquelas crianças que não se comportaram.
Papai Noel dá presentes às crianças boas e Krampus pune as más hahaha.
Krampus vem de krampem (alemão) que significa garra.
Metade homem, metade bode, possui chifres, cauda longa, língua grande e comprida.
Krampus já entra em suas casas procurando crianças más, que mentem, que não se comportaram durante o ano todo e quando as encontra as pune: abraçam as crianças com suas correntes enferrujadas, num abraço monstruoso, coloca-as em cestas e jogam na fogueira.


Mas punir já é uma coisa natural para nós, humanos, não é mesmo? Temos um deus onipotente que pune a gente se não caminhamos corretamente. Krampus é só um mito. Fique tranquilo! Ele não existe de verdade. Já o deus, todo poderoso, onipotente, ah, esse pune viu. E se não se comportar, capaz de quando dormir eternamente de sapatos ele não deixar você subir aos céus para encontrar os anjinhos com aureola em seus cabelinhos cacheados loiros tocando a maldita arpa.

Feliz Natal a todos!



10 de dezembro de 2016

PARABÉNS, não fizeste mais que sua obrigação!

HOJE pode ser para você um dia vitorioso em todos os sentidos. Pense com serenidade, saiba agir com prudência e domine todas as dificuldades com resolução e a mais absoluta confiança em si mesmo.

DEIXE que em você predomine sempre a decisão e siga com o coração aquilo que se propôs: realize sem vacilar seus planos adotados e preestabelecidos.

NÃO deixe que o empurrem: avance! O agora deve ser sua palavra de ordem: este minuto, este segundo é a realidade que se oferece de iniciar oportunamente o que precisa ser iniciado, terminar o que iniciou, corrigir o que foi feito por engano, tomar resolução adiada há tempos, recuperar o tempo perdido...

HÁ algo por fazer? FAÇA agora e alegre-se pela oportunidade que se apresenta para educar a vontade, faça com que, em todo o decurso do dia se estampe em seu rosto o sorriso de otimismo, capacidade, autoconfiança.


NÃO se deixe abater nem por um segundo sequer e mantenha a calma qualquer que seja a situação que venha surgir.

EXPERIMENTE o prazer do triunfo pelas realizações conquistadas e use todas as suas energias para que todos os seus trabalhos sejam realizados com êxito convencendo-se que você pode mais do que realiza.

ESTE dia estará completo se, depois de terminadas as suas obrigações, quando se recolher em seu cantinho de descanso, você poder dizer a si mesmo em pensamento: "HOJE ALCANCEI VITÓRIAS SOBRE EU MESMO, CONSERVEI MINHA VONTADE FIRMA DE UM EXTREMO A OUTRO DO DIA, DESEJEI E CONSEGUI."

27 de novembro de 2016

HUMUS

Pessoa humilde é aquela que sabe que não sabe tudo.
Pessoa humilde é aquela que sabe que não é a única que sabe.
Pessoa humilde é aquela que sabe que a outra pessoa sabe que ela não sabe.
Pessoa humilde é aquela que sabe que ela e a outra pessoa saberão muitas coisas juntas.
Pessoa humilde é aquela que sabe que ela e a outra pessoa nunca poderão saber tudo que pode ser sabido.
Pessoa humilde é aquela que sabe que ainda não cresceu tudo que pode ter crescido.
Quer mais? OK!
Gente grande de verdade sabe que é pequena, então cresce.
Gente muito pequena já acha que é grande e a única maneira de crescer rebaixar outra pessoa.
Há necessidade de se entender isso na vida...
Humildade vem do latim HUMUS que significa terra fértil, adubo, logo, humilde significa O SOLO SOB NÓS, isto é, estamos todos na mesma altura. Como?
Em se tratando de dignidade, importância, possibilidade.
Por isso, alguém que quer ter uma vida não sendo curta também não seja pequena precisa ter a humildade como sendo um dos seus valores.
Essa humildade não é submissão mas a capacidade de se entender que há muitos modos de ser humano.


31 de outubro de 2016

Comunicação

Você já pensou na importância da comunicação na sua vida?
Num passado eu demorei muito a perceber isso.
A comunicação é a forma pela qual nos expressamos perante a vida.
Expomos ideias.
Buscamos desejos.
Explanamos nossas opiniões.
Exalamos nossos sentimentos.
Já parou para refletir que sem a comunicação não haveria convivência com o ser humano?
O mundo, com certeza, não existiria - pelo menos para nós, seres pensantes.
Viver é estabelecer laços com tudo o que nos cerca e compreender que para se viver bem é preciso se comunicar bem.
Nossa felicidade depende de uma comunicação assertiva, efetiva, tanto na área pessoal como na área profissional.

Palavras.
Gestos.
Olhares.
Trajes.
Pensamentos.
Silêncio.
Tudo é comunicação. Esteja atento a estes sinais...
Colhemos o resultado de nossa comunicação sempre.
Esteja atendo à maneira pela qual interage com as pessoas e enriqueça seu vocabulário a fim de que as palavras sejam esclarecedoras e amáveis.
Vamos dar leveza e bondade aos nossos gestos para que o corpo se expresse com alegria e suavidade.
Que os ouvidos sejam sempre a porta do coração.

29 de outubro de 2016

Vaidade das vaidades. Tudo é vaidade (Eclesiastes)

Existem vários, inúmeros, infinitos tipos de vaidade mas hoje quero destacar a vaidade intelectual e a vaidade física.
Começo, como sempre, questionando a vocês. A vaidade intelectual é menos pecável que a vaidade física?
No meu simplório modo de analisar eu diria que não deveria.
As duas formas de vaidade nada mais são do que legítimas tentativas de sair do vazio.
A vaidade física esconde as rugas enquanto que a vaidade intelectual esconde as inseguranças.
O pecado da vaidade foi a primeira resposta que Adão e Eva deram a Deus.
Qual o motivo disso? Simples.
Deus é eterno, é maravilhoso, é lindo, é todo poderoso, não precisa de nada, é aquele que é, é totalmente livre. Dessa forma, Adão e Eva ficaram com muita raiva de Deus porque Ele fez com que estes se sentissem ressentidos.


Agora chego onde eu queria: qual o motivo para Adão e Eva se sentirem ressentidos?
Eles são vazios. Vazios de ser.
Vaidade é qualidade do que é vão. Vazio. Firmado sobre aparência ilusória.
O pecado de Adão e Eva tem três quesitos para existir: ORGULHO, REVOLTA e CEGUEIRA.
O orgulho revolva e cega porque no fundo todos temos ciência, mesmo que inconscientemente, que não temos nenhuma razão para sermos orgulhosos.
Vaidade das vaidades. Tudo é vaidade diz no livro de Eclesiastes.
Falar de vaidade é se trair.
A vaidade pede a infidelidade para com nossos medos e nossa agonia de encontrar algo no mundo nos diz algo de verdadeiro: somos pó.

Créditos da imagem do filme O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

11 de setembro de 2016

Hamlet

Quando é que haverá alguém que vai me dizer o que as coisas são? 
Quando alguém parará de dizer o que deve ser dito? 
Quando alguém parará de colocar fantasias, de beber muito, de disfarçar sua dor? 
Quando alguém começará a estar presente naquilo que fala? 
Quando as pessoas começarão a ser e deixarão de não ser?


30 de agosto de 2016

Progresso? Evolução? Educação?

Ouço muita gente falando sobre progresso. Mas o que é PROGRESSO?
Seria uma palavra vazia?
Seria uma palavra sonora?
Seria uma palavra usada na boca dos materialistas?
Tem um sentido determinado?
O homem não discerniu ainda o verdadeiro sentido dessa palavra. Não sente qual o real peso dela. Muito menos consegue se dissipar para o mistério que o cerca com relação a progresso.


Fé no progresso é sinal de fé no futuro!
Uma civilização que não engrandece torna uma sociedade estagnada num pensamento cada vez menor no que se diz respeito a renovação.
A ideia é mãe da ação, ou seja, só quando se tem vontade de realizar a plenitude - cada vez melhor, cada vez maior - se pode conduzir algo para seu cume.
Todos sabemos que o Universo é regido pela lei da evolução e isso deve ser entendido como progresso.
A tarefa a ser cumprida é imensa, a educação do homem deve ser refeita urgentemente e nem Universidades estão em condições de desenvolver este papel, pois não possuem síntese suficiente para esclarecer qual a marcha das novas gerações para se evoluir conscientemente.
Enquanto se trata de destruir os restos do passado, de dar o último golpe se privilegiando com algo, a Democracia serve-se de seus meios agindo sem que se perceba o que acontece hoje.
Nenhuma obra humana é grande e finita sem inspiração, teoria e prática, pois tudo é concebido e edificado fora das leis que se fundam em areia desmoronando a cada dia.
A evolução é gradual e progressiva onde é fundamental que se tire tudo da Natureza, observando qual a razão dos homens existirem, qual o sentido de fazerem o que costumam fazer e substituir coisas supérfluas por movimentos mais positivamente humanos.


O professor Raoul Picket afirmou que "esses pobres moços admitem que tudo quanto se passa no mundo é efeito necessário e fatal de condições primárias, em que a vontade não intervém; consideram que a própria existência é, forçosamente, joguete da fatalidade inelutável, à qual estão entregues de pés e mão ligados e que esses moços cessam de lutar logo às primeiras dificuldades, já não creem em si mesmos e tornam-se túmulos vivos, onde se encerram, promiscuamente, suas esperanças, seus esforços, seus desejos, fossa comum de tudo o que lhes fez bater o coração até ao dia do envenenamento, tendo visto desses cadáveres diante de suas carteiras e no laboratório, e tem-me cansado pena vê-los."

A PERTURBAÇÃO E A INCERTEZA QUE SE VERIFICA NO ENSINO REPERCUTEM E SE ENCONTRAM NA ORDEM SOCIAL INTEIRA.

25 de maio de 2016

Consciência

Segundo o Dicionário de Filosofia de Nicola Abbagnano, em geral, a possibilidade que tem cada um de dar atenção aos seus próprios modos de ser e às suas próprias ações, bem como de exprimi-los com a linguagem. Essa possibilidade é a única base de fato sobre a qual foi edificada a noção filosófica de CONSCIÊNCIA (uso filosófico desse termo tem pouco ou nada que ver com o significado comum de estar ciente dos próprios estados, percepções, ideias, sentimentos, volições etc., quando se diz que um homem "está consciente" ou "tem consciência", se não está dormindo, desmaiado, nem afastado, por outros acontecimentos, da atenção e seus modos de ser e a suas ações) onde Platão e Aristóteles, que não tiveram este segundo conceito, conheceram e descreveram o primeiro. [p.217]

Pois bem, partindo do princípio que Filosofia não é só “amor à sabedoria”, mas a melhor maneira de se compreender o que é Filosofia, sem sombra de dúvida, é perguntarmos pelo seu modo peculiar de proceder, sem nos preocuparmos tanto com o que ela estuda ou o que ela é, mas como faz sua
investigação, Emmanuel Fraga afirma que podemos constituir análises racionais e rigorosas do que vem a ser a Filosofia: um esforço interminável de fundamentar ideias.

A forma mais errada de julgar o exercício do filósofo é aproximá-lo de uma emissão de opiniões, a doxa ( δόξα)grega, e "achismos", relacionados ao senso comum. A filosofia, ao contrário disso, a todo o momento, tenta afastar as ideias superficiais e preconceituosas em direção às ideias fortes e bem articuladas. É indispensável que o trabalho do filósofo em primeiríssimo lugar seja pela precisão e rigor dos conceitos utilizados e por uma preocupação lógica e clara na exposição dos argumentos.
Isso não quer dizer que todas as obras filosóficas devem ser chatas, difíceis de ler, mas que apresentam algumas características próprias que nos possam diferenciá-las da com a Literatura e de outros escritos.
Esta análise filosófica deve se preocupar com a sua totalidade e não com as partes individuais dos problemas.
Cito como exemplo, para uma maior compreensão, que a sociologia tem por objeto a sociedade; a psicologia, a alma ou psique; a física, os corpos em movimentos e assim por diante, mas todas constituem áreas específicas do saber, que mesmo quando ultrapassam seus limites tem o intuito de solucionar problemas mas continuam limitadas às suas perspectivas singulares por serem ciências.
Lamento dizer, mas isso não acontece com a Filosofia!

O primeiro passo da reflexão filosófica é a suspensão de todo referencial na tentativa de que venha a limitar o caráter abrangente, característico da Filosofia, conforme nos afirma Monica Aiub em seu livro Filosofia Clínica e Educação. Assim, “o filósofo é aquele que tem por obrigação uma visão alargada e razoável do mundo e dos saberes”, sendo, desse modo, o debatedor mais competente dentre os demais, pois é capaz de unir as diversas perspectivas ou perceber seus pontos fracos.
Neste caso, o filósofo seria uma pessoa de mente aberta e de constante preocupação em busca das novas formas de visar os problemas.
Agora, se o filósofo pretende refletir sobre os problemas e temas relevantes, para que possa construir uma argumentação coerente e com as características anteriormente abordadas, transformará seu pensamento em crítica, ou seja, nas formas anteriores de abordagem da questão, aos sistemas filosóficos que o antecederam, à tradição e tantas outras mais. Essa é a forma mais característica do filósofo proceder, no entanto, não se trata de uma crítica ofensiva, mas um pôr-em-questão, com a finalidade de perceber os limites das teorias vigentes e de apontar novas formas de abordagem.

Seu rigor característico da atividade racional está frequentemente aliado, no exercício filosófico, à ideia de sistematização. É indispensável na exposição de argumentos, além da clareza e precisão, que o filósofo reflita e demonstre de modo sistemático seu o raciocínio.
Um conjunto confuso e superficial, com ausência de encadeamento lógico, desqualifica um trabalho que pretende ser filosófico.

12 de maio de 2016

Poder e política

No pensamento político grego, os conceitos são utilizados ainda hoje no que se diz respeito ao pensamento politico.
Existiu uma política grega com estrutura em diversas cidades independentes - invenção da democracia - onde a forma de governo envolvia problemas, geravam ideias e atravessavam séculos.
Ideias de Platão e Aristóteles permeiam até hoje onde um fato que pode parecer curioso é que esses dois filósofos que viveram em Atenas fizeram críticas a esta política de governo, mesmo vivendo sob ela.
Uma coisa interessante na política grega é que ela tematiza como deveria ser tal política e não como era. Coisa que hoje em dia a minoria questiona.


Platão: a democracia não é uma boa forma de governo; os melhores e capazes deveriam governar a cidade ao contrário do que acontece na democracia - qualquer cidadão pode ser eleito e assumir o governo mesmo sem preparo ou capacidade para isso.
Aristóteles: não considerou a democracia a melhor forma de promover o bem comum; classificou boas formas de governar e mostrou que elas podem dar resultados em forma de corromper o governo; governo bom não é aquele composto por uma única ou várias pessoas, mas sim os que tem capacidades adequadas.
Voltemos no tempo um pouco: 2001, Estados Unidos, ataque terrorista contra as Torres Gêmeas.
Discurso político defendendo a democracia como valor universal e afirmou que todos os países deveriam ter o governo democrático - sendo o melhor para o mundo!
Tom Zé problematizou isso na música "Companheiro Bush":

Se você já sabe quem vendeu aquela bomba pro Iraque, desembuche!
Eu desconfio que foi o Bush! Foi o Bush.
Onde haverá recurso, para dar um bom repuxo, lá no companheiro Bush?
Quem arranja um alicate, que conserte aquela fase ou corrija aquele fuso?
Talvez um parafuso, que tá faltando nele, melhore aquele abuso!
Um chip que desligue, aquele terremoto, aquela coqueluche.

O episódio e a crítica presente nesta canção nos envolve a um dos problemas humanos mais importantes: a vida em comum e as relações que travamos com nossos semelhantes - administração dos interesses de uma comunidade.
Política... Polis grega.
Muitos acreditam que os cidadãos precisem participar mais com o voto na época das eleições, mas será assim mesmo?
Pensemos na política de forma mais abrangente e participativa, agindo politicamente quando nos relacionamos com as pessoas com as quais convivemos, afinal, somos nós quem colocamos os governantes lá. Ou não?



No livro O príncipe de Maquiavel, há pessoas que veem ali a defesa de um governo forte e que só centraliza as coisas. Um conjunto de "conselhos" para um governante sobre como proceder para conquistar poder e mantê-lo. Para outros, mais que dar "conselhos" a um governante, chama atenção do povo para os perigos e tragédias de um tirano. Maquiavel relata como os principados se organizam e dá uma série de eventos que um autentico governante tem para mantê-los e conservar um território.
Para mim, isso nada mais é que a competência e capacidade de governar: saber ler e interpretar a história, identificar o momento oportuno para sua realização, aplicar o poder com ponderação; não seguir regras absolutas e sim ser fiel ao espírito político do momento.
Maquiavel é um constante diálogo entre o passado e o presente: procura nos clássicos antigos a inspiração para pensar o presente: virtude (virtú - capacidade do governante em lidar com acontecimentos) e fortuna (sorte - conjunto de tudo o que acontece aos seres humanos e que eles não podem controlar).
Com a democracia, as palavras maquiavelismo e maquiavélico tornaram-se pejorativas. 
Na política, maquiavelismo é algo a ser evitado, mas, Maquiavel se mostra como efetivamente SEMPRE no poder.

5 de maio de 2016

Raciocínio ponderado

O que a gente aprende primeiro devia ter acontecido antes. Esta afirmação é verdadeira ou não?
Vamos refletir sobre isso, ok?

Uma vez, quando lecionava como professor eventual em um colégio perto de casa, fui substituir um colega que havia faltado. Aritmética.
Todos sabem como abomino números, cálculos, matemática no geral - talvez, por este motivo, tenha escolhido a graduação em Filosofia e minha nota de Lógica Aristotélica tenha sido a mais baixa.
Bem, voltemos a aula de aritmética.
Esta eu bem lecionando sobre seno, coseno, equação de primeiro e segundo graus e afins e um aluno questiona: "Professor, quando é que vamos precisar usar isso na vida real" e eu sem titubear: "NUNCA!"
Silêncio mortal na sala e todos que estavam copiando, olharam para minha pessoa.
Eu, que estava sentado, dei os 15 segundos para todos deglutirem a informação e continuei "talvez vocês nunca precisem destes fatos, números ou problemas mas a verdadeira lição que devem tirar dessa aula é o empenho, a cooperação, a flexibilidade, a superação, a reflexão crítica e principalmente a capacidade e desenvolvimento ímpar em resolver problemas".
Estas são as habilidades REAIS e FUNDAMENTAIS que vão precisar no dia a dia.
Resultado: conquistei a sala toda e somos "amigos" de redes sociais, blogs, e-mails até hoje.


Lutar para superar seus desafios é o que mais importa.
Num teste de 10 palavras com a dinâmica é um ditado onde você ganha 2 pontos para a grafia correta, cinco pontos para a definição acertada e três pontos por usar a palavra em uma frase que demonstre a compreensão do sentido em um contexto, não há como chutar. Ou se sabe, ou cai fora.
Horácio, poeta romano de 65-8 a.C., afirmou que a tarefa de um poeta é deletar ou instruir para tanto devemos reservar nossa maior distinção para aqueles que conseguem atingir os dois objetivos ao mesmo tempo, ou seja, DELETAR o que não serve e INSTRUIR no sentido de absorver o que realmente vale a pena para continuar.
Ensinar, é uma arte. Arte da explicação onde se apresenta uma informação certa, na ordem certa, de forma que fique tatuado.
O que é uma tatuagem?
É algo que você crava em sua pele porque AMA de uma forma que só você a tem.


Embora eu tenha me formado em Filosofia e feito uma pós na compreensão do ser humano, amo ser professor.
Paideia, do grego παιδεία é um sistema de educação e formação de todo o homem grego onde se inclui muito a ética além da ginástica, gramática, retórica, música, matemática, geografia, história natural e FILOSOFIA, ou seja, desde pequenino o homem grego PENSA!
Hoje quem pensa é idiota! Ou tonto! Ou radical! Ou resistente...
Platão pensou que a essência de toda a educação (paideia) é que dá ao homem o desejo e a vontade de ser um cidadão perfeito ensinando-o a mandar e obedecer tendo a justiça como fundamento primordial.
Enfim, a vida nos proporciona um plano muito melhor do que aquele que a gente prepara. Embarque nesse plano (ou oportunidade se assim achar melhor qualificar) porque o tempo... Ah, o tempo! Esse elabora com calma o dever de casa a partir de lições que felizmente estão em movimento mas ele é arrebatador.

27 de abril de 2016

Ninguém nasce a toa; ninguém vive só

Ninguém vem ao mundo por sua própria vontade: a vida é uma força anônima até se encontrar um nome para este ser frágil de início.
Como nascemos num mundo pronto, nossos pais já estavam aí, já tinham uma casa, o dia já existia, em breve iremos a uma escola etc., só percebemos isso quando somos inseridos neste meio e quando nossa experiência se torna o sentido de que estes estão conosco.
Aí a vida começa e os conflitos parecem emergir de tão forma que se torna incontrolável o saber, a consciência, o despertar dos sentidos, os sentimentos...
O saber age passivamente e depois se acomoda à cadeia de decisões pelas quais cada vida humana se impõe e se distingue das outras: cada um de nós sente, percebe, descobre as coisas no seu tempo.
Sendo o acaso uma ilusão, é por isso que nunca estamos sós ou conseguimos viver sós. O outro me constitui.
Tudo acontece num tempo e num local, por acaso, mas só aparentemente, pois, o tempo nunca é só de alguém e o espaço é sempre de muito mais pessoas do que só nosso! Vivemos em sociedade: estamos agora aqui mas isso tudo já pertenceu a outras séculos atrás!
Tudo que encontramos aqui já existia. Tudo deixaremos aqui quando partirmos.
Engraçado isso né? Já pararam para refletir sobre?
Thomas Hobbes - matemático, político, filósofo inglês, autor do livro Leviatã (leitura obrigatória), nascido em 05/04/1588 e falecido em 04/12/1679 afirmou que quando nascemos nossas mães deram a luz a nós e ao nosso irmão gêmeo: o medo.


Medo. Palavrinha de quatro letras que trás um peso e uma bagagem tão imensa que só de pensar dá... MEDO!

Faz tempo que não faço isso, então vamos lá:
Medo. Essa palavra tem origem do Latim MEDUS, do Grego MEDOI. O nome que esse povo dava a si mesmo, que se dizia vir do seu primeiro rei: MEDOS.
A palavra medo no idioma português vem do Latim METUS.

Explanado isto, voltemos.
Heidegger disse que o medo nos convida a viver na impropriedade sem atribuir sentido onde deixamos que outras circunstâncias o atribuam, a gente se aliena, vive correndo, com pressa e preocupação.
Segundo ele, vivemos num sentido impróprio que não aponta em direção alguma, não tem finalidade, logo não chegamos ao fim de nada.
Já outro filósofo, Espinoza, afirmou que o medo tem origem em uma ideia equivocada de algo somente te libertando com o conhecimento.
Marco Aurélio - imperador romano - afirmou que se uma causa exterior te perturba, a tua aflição não vem dessa causa, mas do teu juízo a respeito dela.
Fechando ficam as questões:
1. Medo de mudar e não ser aceito pelas pessoas que lhe querem bem.
2. Medo de ser rejeitado.
3. Medo das coisas não darem como eu gostaria que dessem.
4. Medo de perder uma condição ou competição.
5. Medo de perder algo que conquistei.
6. Medo de descobrir que estou errado.
7. Medo de tentar.
8. Medo de conseguir.
Alguns veem-se como covardes, outros apenas com medo, outros não sabem o que fazer.
Eu posso dizer que a primeira coisa é contextualizar esse medo e essa intensidade medrosa onde alguns movimentos podem destruir se você determinar que o medo é "passageiro".
Lembre-se: medo é mecanismo de defesa.
Ninguém está só. Ninguém vive só. O medo sempre acompanha seu irmão: a coragem de enfrentá-lo.

22 de abril de 2016

Pra quê Filosofia, não é mesmo?

Quando alguém se sente cansado de coisas exteriores e terrenas, ele volta-se para dentro de si e procura descobrir ou desvelar novas forças e nova luz em sua fonte interior.
Adentrar-se a si mesmo, desvendar os próprios pensamentos, sondar anseios que camuflam intenções secretas, descobrir-se, isso é filosofar.
Todas as pessoas o fazem, sem exceção, pois todos, um dia, são obrigados a fazer.
Filosofia é uma atividade permanente.
Por exemplo, para andar precisamos de uma fase de aprendizado. Para pensar precisamos de um critério de clareza.
Para filosofar precisamos aprender a ciência de mergulhar em nós mesmos e praticar, quando possível, o convívio.
Livros ajudam? Sim, mas, sem uma história marcada pelos próprios rumos através de uma ação e de um sofrimento nada se aprende.
Não é raro as definições de Filosofia serem muitas e contraditórias. Pitágoras nos afirmou que é simplesmente o amor a sabedoria.
Para mim, Filosofia é a crítica do conhecimento porque desde que começou a pensar, o Homem sentiu uma necessidade imensa de criticar e de tempos em tempos, o conhecimento do mundo elabora sua mente e este se acalma.
Filosofia se distingue da Ciência: não tem objeto exterior; ela é o seu objeto.
Cientistas debruçam sobre fenômenos para investigar a Natureza, operam no exterior. Filósofos debruçam sobre o próprio pensamento; operam no interior de si.


O processo de pesquisa dos filósofos é o monólogo e seu método de exposição é o diálogo.
Não que o monólogo possa ser um solilóquio inconsequente. Longe disso!
O monologar sobre as suas próprias concepções, experiências, conhecimento do mundo, de vida e de si mesmo, ele, o Homem, opera sobre resultados não só das relações íntimas e externas como do processo histórico que ele se encontra.
Escrever sobre Filosofia é, hoje em dia, uma temeridade porque a Filosofia tornou-se complexa, um mar profundo, nenhum nadador consegue dominar suas ondas em toda extensão.
Isso não nos impede de dar braçadas, ok?
Se o mar é turbulento, fique na praia perto de salva-vidas! Não arrisque dar braçadas a toa e morrer na areia.
De qualquer forma, podemos tomar gosto pela água salgada, experimentar a força e o poder das ondas e da espuma branca, tocar a ponta dos pés na areia fina e movediça de alguns lugares menos perigosos. Entende essa metáfora minha?
Concorda comigo que é sempre melhor esse exercício do que ficar em casa olhando o mar pela janela?
Àqueles que não encontraram em nada que eu disse acima novidade alguma deixo aqui as palavras do Eclesíastes de Israel:

"Todas as coisas são difíceis; o Homem não as pode explicar com palavras. O olho não se farta de ver, nem o ouvido se enche de escutar. Que é o que foi? É o mesmo que o que há de ser. Que é o que se fez? É o mesmo que o que se há de fazer. Não há nada que seja novo debaixo do sol, e ninguém pode dizer: eis aqui está uma coisa nova. Porque ela já houve nos séculos que passaram, antes de nós."


13 de abril de 2016

DEZ ATITUDES QUE - acredito eu - PODEM ESTAR TE IMPEDINDO DE SER FELIZ

01. Não assumir o controle da sua vida, tipo "eu não tenho escolha".

02. Desistir antes de tentar, tipo "não querer aprender ou fazer algo porque você não gosta".

03. Se comparar com os outros, tipo "cada um é merecedor do que tem".

04. Não saber lidar com adversidades, tipo "é impossível viver uma vida toda evitando problemas ou coisas negativas".

05. Não ter um objetivo de vida, tipo "sonhos que só são sonhos e nunca serão transformados em realidades".

06. Viver em estado de inércia, tipo "quem só espera se frustra já que as coisas só acontecem se a gente age para que algo aconteça".

07. Não entender o valor do tempo, tipo "cada dia que nada se faz uma quantia de grana é debitada de sua conta".

08. Os procrastinadores, tipo "começamos a morrer quando nascemos, logo cada dia que temos vida é um presente divino".

09. Os apáticos, tipo "aquelas pessoas que não querem abrir a cabeça para o novo e enxergam as coisas de uma forma achando que é a única correta/aceita, pessoas resistentes a mudanças".

10. Os impacientes, tipo "pessoas infelizes são aquelas que tem grandes expectativas na vida e se frustram com qualquer 'derrota' que aconteça com elas".

Uma verdade: felicidade é uma decisão sua e deve ser tomada diariamente como resultado de um conjunto de pequenas coisas que, somadas, fazem nossa vida melhor e mais completa.
Felicidade são pequenos momentos feitos a partir da gente mesmo!

24 de janeiro de 2016

PREOCUPAÇÃO - INDECISÃO - CERTEZA

PREOCUPAÇÃO é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair do seu pensamento.


INDECISÃO é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.


CERTEZA é quando a ideia cansa de procurar e estaciona.